Morar em Portugal: é uma boa hora para imigrar?

Muitas pessoas têm o sonho de morar em Portugal. E, cá entre nós, recomendo.

Portugal é um país aconchegante, principalmente para nós, brasileiros, acostumados com as dimensões do Brasil.

Mas não é só pelo tamanho. A cultura, a história e o povo português são fascinantes para quem está disposto a viver essa experiência plenamente.

Porém – ai, porém – a pandemia chegou para chamar o mundo de seu. Quem veio, veio. Quem não veio ficou arrancando os cabelos sem saber o que fazer.

E foi justamente pelo bem dos seus cabelos que decidi abordar esse tema no podcast Cusquices da Malta. Para isso, convidei duas pessoas que têm muita experiência em morar fora.

A jornalista Amanda Corrêa e o publicitário Claudinho Abdo são idealizadores do site Vagas pelo Mundo. E eles aceitaram o convite para falar sobre um possível panorama português no período pós-pandemia.

Para ouvir esse bate-papo bem bacana, clica aqui ou pesquisa por Cusquices da Malta no seu agregador preferido.

Mas, se você esqueceu os fones em casa ou prefere mesmo uma boa leitura, segue aqui que vai rolar um resumão muito legal de tudo o que falamos.

Calma! Ainda dá para morar em Portugal em 2021

Quem estava programado para morar em Portugal em 2020 nem contabiliza mais as xícaras de chá de camomila. Compreensível.

O problema é que 2021 chegou e não trouxe as boas notícias que esperávamos. A coisa toda não só não melhorou como ainda piorou. E nas primeiras semanas do ano novo vimos um agravamento da pandemia em terras lusitanas.

Maaas, calma! Esse aumento de casos e mortes rolou depois que o governo flexibilizou – até demais – as regras do confinamento. E vivemos uma vida mais livre antes da hora por aqui.

As novas medidas, adotadas em janeiro, combinadas com a vacinação trazem um certo alívio para quem já não aguenta mais responder aos parentes porque ainda está onde está.

Para Amanda, o momento não é o ideal para imigrar. “Quem vier, vai ter dificuldade pra fazer documentos, alugar um apartamento, arrumar um emprego”, alertou.

Uma análise que faz todo o sentido: neste momento, Portugal está em confinamento. Praticamente tudo está fechado.

E, ainda que em março se inicie a flexibilização, o funcionamento será parcial. Ou seja, os processos serão mais demorados, pela redução de recursos humanos, financeiros ou espaciais.

Para ela, o melhor é esperar pelo segundo semestre, quando tudo deve estar mais estabilizado.

Claudinho é um pouco mais otimista, mas com cautela. “Não é o momento ideal, mas quando a gente veio, em 2014, também não era. Portugal estava saindo de uma crise. Então, a palavra de ordem é planejamento, ter para onde correr.”

Sabe aquela ideia recorrente de entrar como turista para ver no que dá? Sua sensatez está mandando deixar de lado.

Segundo Amanda, a taxa oficial de desemprego em Portugal hoje é de 7,8%. Mas esse número pode ser maior por causa da informalidade.

Você quer mesmo arriscar tudo para passar perrengue do outro lado do oceano?

Aproveite para reavaliar suas prioridades

Em outro momento bem bacana do podcast, falamos sobre o que vai encontrar quem vem morar em Portugal.

Antes de mais nada, é importante ter em mente que esse não é um país para ganhar e guardar dinheiro.

Mas é Europa! Na verdade, é o Brasil da Europa, como muitos dizem.

O salário mínimo em Portugal é 665€. Para dar uma ideia, o aluguel do meu apartamento, de dois quartos e um banheiro, é 550€ (obviamente não moro sozinha ou teria que me alimentar de brisa).

O valor varia? Certamente. Estou em uma zona relativamente central de Coimbra. Mas vale lembrar que esse valor foi bem negociado com a proprietária, que já me conhecia.

Além disso, Coimbra não está entre as cidades portuguesas com maior custo de vida. E o Vagas pelo Mundo tem um post bem bom falando sobre isso.

Então vale a pena pensar qual é a sua maior motivação para imigração. Se é fazer um pé-de-meia, talvez Estados Unidos e Canadá sejam melhores opções pra você.

No entanto, se a ideia é ter qualidade de vida ou viver em um país rico culturalmente, aí sim pode colocar Portugal no topo da sua lista.

“É um país de história, de cultura, com música ao vivo na praça”, enfatizou Amanda. Para quem gosta desse tipo de entretenimento, Portugal é uma boa alternativa.

E Claudinho completou: “É aquela história: tudo não terás. A gente mora em um país seguro, mas que não dá para ganhar dinheiro. É o famoso cobertor de pobre, tapa a cabeça e destapa os pés”.

Então, antes de definir seu destino, reflita sobre as questões abaixo para ter certeza de que está escolhendo o lugar certo:

  • Vai viajar sozinho ou com a família?
  • Quer tranquilidade ou agitação?
  • A ideia é fazer um pé-de-meia?
  • Como lida com muito frio ou muito calor?
  • Como é sua capacidade de adaptação a uma cultura diferente?
  • Com que frequência pretende visitar a família e os amigos no Brasil?
  • Para quanto tempo você tem reserva financeira?
  • Você tem uma renda fixa no Brasil para complementar um possível salário baixo no exterior?

Mas tudo isso interfere? Sim, mais do que imaginamos. Se você não tolera o frio, evite o norte da Europa e o Canadá, por exemplo.

Se visitar sua família com frequência é fundamental, um país no mesmo continente pode ser mais adequado, por ter mais opções de transporte.

São coisas que não entram naquele planejamento macro com frequência, mas que fazem a diferença no dia a dia.

E já que, por enquanto, tudo o que você pode fazer é planejar, ocupe-se com esses detalhes.

O detalhe mais importante de todos

Lá pelas tantas do podcast, a Amanda lançou a pergunta “será que eu estou emocionalmente preparado para tudo o que eu vou passar?”

E muita, muita gente passa batido por esse “pormenor” quando vem morar em Portugal.

Nas primeiras semanas, o deslumbre dá conta de nos manter ocupados. Depois disso, se não houver um propósito, as dúvidas existenciais vão surgir.

O sentimento de não-pertencimento e a falta de conexões emocionais vão bater à sua porta internacional e você precisa saber lidar com essa visita.

Se você não tiver um objetivo muito claro, a sensação será de um sofrimento em vão. Disso para a frustração e desistência são dois passinhos. Bem curtinhos.

Foi com isso em mente que Claudinho Abdo escreveu o livro Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir. São diversos artigos, alguns publicados no Vagas pelo Mundo e outros inéditos, que focam no lado emocional da mudança de país.

Para saber mais sobre o livro, assista o vídeo abaixo. E, se ficar empolgado, na sequência já deixo os links de onde comprar.

Acredite, estar preparado emocionalmente é tão importante quanto ter um visto ou uma poupança para se manter.

As áreas mais prósperas em Portugal

Ok, o cenário não está lá essas coisas para quem quer morar em Portugal. Mas algumas profissões têm perspectivas melhores que outras. E também falamos sobre isso no programa.

Tecnologia da Informação

Segundo Amanda, na área de Tecnologia da Informação está o maior número de vagas – não só em Portugal, a Europa toda tem espaço para estes profissionais.

“Para a área de TI é o momento ideal. Até para conseguir um trabalho remoto ganhando em euros.”

Já pensou que beleza? Começar a trabalhar antes mesmo de imigrar? É uma possibilidade real para quem tem um bom currículo.

“O que a pessoa tem que ter em mente é que vai enfrentar concorrência do mundo inteiro”, lembrou Amanda. Portugal tem em torno de 500 mil imigrantes e, destes, cerca de 150 mil são brasileiros.

Ou seja, ter um bom currículo é fundamental. Não só na experiência, propriamente dita, como na apresentação da sua candidatura.

Caso não saiba, há um modelo de curriculum vitae mais usado na Europa, o Europass. Ele é gratuito e coloca todos os candidatos em igualdade na competição por uma vaga.

O salário para um profissional experiente de TI varia de 1.500€ a 2.000€ e as cidades portuguesas com mais oportunidades são Lisboa, Porto e Oeiras.

Saúde

A área da saúde também é promissora. A atenção aqui é para a validação do diploma, indispensável para quem quer atuar legalmente em Portugal.

“Você pode fazer isso antes de pensar em imigrar para depois mandar o seu currículo”, disse Amanda. Esse processo de validação, em tempos normais, leva de seis meses a um ano e custa cerca de 500€.

Porém, Claudinho lembrou que, com a situação atual de pandemia, tudo está demorando mais. Daí a importância do planejamento. “Não dá para pensar ‘sou médico, amanhã vou começar a trabalhar’. Não vai.”

A vantagem, conforme contou Amanda, é que a solicitação de validação do diploma é toda online. E, neste artigo, tem um passo a passo bem didático de como fazer.

Mas uma coisa que é preciso levar em consideração é o salário de um médico em Portugal. Por aqui o status desse profissional não é o mesmo que no Brasil.

“O salário inicial é em torno de 1.300€ para um residente. Um médico de família, que é muito comum por aqui, ganha em média 2.000€.”

Por isso, pesar os prós e contras de morar em Portugal é tão fundamental.

Motorista de caminhão

“A área de transporte internacional, em Portugal, está precisando eternamente de motorista”, disse Claudinho.

Provavelmente por esse motivo, o salário é tentador. Um motorista de pesados, como é chamado esse tipo de transporte aqui, ganha em torno de 2.000€  – sim, o mesmo que um médico de família.

Claro que não é só chegar e sair dirigindo. Além da habilitação adequada, são necessários cursos. E o investimento para tudo isso é de, no mínimo, 2.200€ segundo Claudinho.

Mas, para os profissionais que já são da área e têm como desembolsar essa grana inicial, é uma ótima oportunidade. 

Lembrando que as estradas da Europa são beeeem melhores que as do Brasil, o que torna a viagem um tantinho menos cansativa.

Auditoria

Auditores fiscais e auditores financeiros para grandes empresas também encontram oportunidades no mercado de trabalho em Portugal.

Onde encontrar informações confiáveis para morar em Portugal

Para todo o planejamento funcionar na prática, as informações coletadas precisam estar corretas e atualizadas. Então tenha certeza de que você está pesquisando em fontes confiáveis.

O Vagas pelo Mundo está entre os sites mais informativos e atualizados, por isso mesmo foi minha primeira opção para falar sobre essa perspectiva no podcast (sorte a minha que toparam :)).

Além do site, o canal do youtube e o podcast Partiu Morar Fora também trazem informações bem relevantes para quem está com o pé na porta para sair do Brasil.

Os órgãos oficiais são outras fontes importantes, principalmente nesta época de pandemia, em que as informações são atualizadas com mais frequência.

Para quem vai morar em Portugal, vale a pena ter à mão os sites abaixo:

“Porém, vale ressaltar que existe muito desencontro de informação inclusive oficialmente”, alertou Claudinho. Então, o ideal é sempre buscar o mesmo questionamento em mais de um lugar.

Outra dica da Amanda é prestar atenção na data da postagem. “As coisas mudam muito.” Por isso, procure sempre por posts e notícias recentes.

E, por último, documente tudo sempre que possível. Recebeu uma resposta do consulado por e-mail? Guarde o e-mail. Não custa nada e pode evitar problemas futuros.

Com todos esses cuidados, tenho certeza de que sua imigração será tranquila e se transformará em uma experiência incrível.

Tudo isso e muito mais está no episódio #33 do Cusquices da Malta. Se ficou com vontade de ouvir, é só dar o play abaixo:

O que achou deste artigo? 

Ajudou você a decidir sobre sua viagem?

Vai esperar? Vai vir mesmo assim?

Tem mais alguma coisa que você quer saber?

Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.