Coimbra: os encantos da cidade que me escolheu

Desde o ano passado, 4 de julho deixou de ser o Dia da Independência Norte-americana para ser o feriado municipal de Coimbra. Para mim, pelo menos.

O dia é celebrado no aniversário de morte da Rainha Santa Isabel, padroeira da cidade, cujo túmulo se encontra no Convento de Santa Clara-a-nova.

Coimbra, que já foi a capital do país, não era minha primeira opção na vinda para Portugal. Aliás, nem era uma opção.

A ideia era ficar alguns meses aqui até que passasse a alta temporada e eu pudesse alugar uma casa na Nazaré.

Mas fui me encantando por ela. E acho que ela por mim, pois foi me dando um presente atrás do outro, fazendo de tudo para eu ficar.

E fiquei!

Mas não fui só eu! A advogada pernambucana Michelle Merçon também criou laços com a cidade. “Coimbra é tranquila, segura, boa para viver em família”, definiu.

Ela mora aqui com a filha, Liz, e com o marido, Luís, também advogado, que veio fazer doutoramento na Universidade de Coimbra. Quando as aulas acabaram, eles decidiram ficar.

Neste post, juntei as minhas experiências com a de outras brasileiras. Juntas, vamos contar o que mais gostamos em Coimbra e o que você não pode perder quando passar por aqui.

Coimbra e sua posição privilegiada no território português

Coimbra está localizada na Região Centro de Portugal. Gosto disso porque qualquer lugar acaba sendo, relativamente, perto.

Daqui são 94km até o Porto, 202km até Lisboa e 444km até Faro, a principal cidade do Algarve.

Além disso, a menos de uma hora tem praia ou serra, dependendo do lado que se vai.

Em termos de clima, me parece muito semelhante ao que eu estava acostumada em Porto Alegre (RS) – talvez um pouco menos quente.

Normalmente, as temperaturas ao longo do ano variam entre 4ºC e 28ºC. Diferente disso até acontece, mas é mais atípico.

Apesar de não estar nem entre as 15 cidades mais populosas de Portugal (ocupa a 19ª posição), Coimbra é uma das mais importantes do país. Isso se deve, principalmente, ao seu valor histórico e desenvolvimento na área acadêmica.

Atualmente, a população da cidade gira em torno de 130 mil habitantes.

Todo mundo respira o ar universitário

Uma visita à Coimbra exige um tour universitário. Isso porque é aqui, claro, que está a Universidade de Coimbra, uma das mais antigas do mundo ainda em atividade.

Sua fundação aconteceu em 1290 em Lisboa. Mas, depois de idas e vindas, mudou-se definitivamente para cá em 1537. Em termos de arquitetura, é a instituição de ensino mais linda que já visitei.

familia-coimbra
Pai e mãe na Universidade de Coimbra (a foto não é inédita no blog, eu sei, mas é tão linda, né?)

É também na UC que está a Biblioteca Joanina. Em 2013, ela foi considerada “a biblioteca mais espetacular do mundo” pelo jornal britânico The Telegraph.

Com um acervo de 70 mil livros, o local tem hoje 1.250m² divididos em três andares.

coimbra-joanina
A belíssima Biblioteca Joanina (Foto: Wikipedia)

O bacana é que a Universidade disponibiliza visitas virtuais às suas principais dependências. Está tudo aqui!

Além dos espaços físicos, a vida universitária é uma constante na cidade. Seja pela quantidade de estudantes de diversas partes do mundo, seja pelos eventos estudantis.

Entre os principais, estão a Latada e a Queima das Fitas:

Latada

A Latada marca o início do ano letivo. Acontece sempre em outubro e é quando a Praxe tem início.

Praxe é o trote aplicado aos caloiros (assim mesmo, com i) que inclui diversos eventos e se estende durante o ano.

Queima das Fitas

Já a Queima das Fitas acontece no mês de maio e marca o final do ano letivo. É quando os formandos, aqui chamados de finalistas, comemoram o fim do curso e os caloiros se livram da Praxe.

Em 2020, o coronavírus impediu a realização do evento. Na época, escrevi sobre isso nesse post.

Ambos os eventos têm alguns programas restritos aos estudantes e outros abertos à população. Entre eles, o Cortejo e a Serenata Monumental.

Por isso, se você visitar Portugal em algum desses meses, vale a pena se organizar para assistir. É algo bem diferente do que já vimos no Brasil.

A beleza natural de Coimbra

À primeira vista pode não parecer, mas Coimbra tem muitos espaços onde dá para curtir a Natureza.

Dos parques ao Mondego, rio que corta a cidade, quem gosta de área ao ar livre vai adorar passear por aqui.

coimbra-parque-verde
Parque Verde do Mondego: a foto não faz jus à beleza do lugar

O Parque Verde, localizado às margens do rio, é frequentado por pessoas de todas as idades. Seja para lazer ou prática de esportes, é o preferido de boa parte dos conimbricences.

Mas não só! Brasileiros que estão morando em Coimbra também já caem de amores pela região.

É o caso da Taís Bellaver, gaúcha de Porto Alegre como eu. Ela está aqui desde 2018 com a filha, de 9 anos, e faz mestrado na Universidade de Coimbra. O marido veio um tempo depois.

O que eu mais gosto em Coimbra é o Rio Mondego. Gosto do fato de não ser poluído, do espaço em seu entorno para o lazer, de se poder praticar esportes. É o rio onde eu aprendi canoagem”, conta.

canoagem-tais
Taís durante a aula de canoagem. Que vista é essa, meu Deus? (Foto: Arquivo pessoal)

E sabia que dá para incluir a canoagem na sua visita por Coimbra? Existem algumas empresas que fazem esse tipo de programa.

Como não cheguei a experimentar nenhuma ainda, deixo o link da única que encontrei no Tripadvisor. O Pioneiro atua nessa área desde 1988 e tem ótimas avaliações.

Anima ou não? 🙂

Outro local lindo bem no coração de Coimbra é Parque de Santa Cruz, conhecido popularmente como Jardim da Sereia.

Ele fica do ladinho da Praça da República, um ponto de encontro universitário. A Praça está localizada ao final dos Jardins da Av. Sá da Bandeira e é difícil dizer qual lugar é mais agradável.

São inúmeros os lugares que mostram a beleza natural de Coimbra. Penedo da Saudade, pôr-do-sol no Seminário Maior e Mata do Choupal foram alguns dos sugeridos por outros brasileiros que vivem por aqui.

E a lista segue no site da Câmara Municipal de Coimbra. Há uma parte específica sobre Parques e Jardins, com fotos e informações históricas.

Já para quem prefere água, além do Mondego, o distrito de Coimbra tem praias fluviais de uma beleza incrível! 

praia-fluvial-senhora-piedade
Praia Fluvial da Senhora da Piedade na Serra da Lousã (Foto: praiafluvial.pt)

Acredita em mim! Vai faltar tempo para aproveitar tudo que tem nessa região.

Ser criança em Coimbra também é bem bom

Se, por um lado, é bom ser universitário em Coimbra, ser criança também não é nada mal.

Candidata à Capital Europeia da Cultura em 2027, a cidade portuguesa se esforça para atender todos os públicos.

Na minha opinião, são três os lugares imperdíveis para as crianças por aqui:

Portugal dos Pequenitos

Como falar sobre a História e a cultura de Portugal para as crianças? Esse parque lúdico chamado Portugal dos Pequenitos responde.

Basicamente, são construções que imitam casas, castelos e outros locais portugueses icônicos. Tudo em escala reduzida. 

Eu já tinha lido sobre, mas só percebi o quanto é demais quando visitei. Aliás, meus pais que me levaram quando estiveram aqui em fevereiro. Achei simbólico 🙂

portugal-pequenitos
Eu e minha Rainha Santa na mini universidade do Portugal dos Pequenitos

Exploratório

Voltado para a cultura científica, o Exploratório é um lugar cheio de atividades interativas e criativas.

A mim lembra o Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, que temos em Porto Alegre. Quem conhece vai entender de cara o que é o Exploratório.

O legal é que muitos exercícios foram reinventados para acontecer ao ar livre em função do coronavírus.

Estou dizendo, criatividade é o que não falta.

coimbra-exploratorio
O Exploratório e sua cultura científica pensada para crianças (Foto: exploratorio.pt)

Livraria Faz de Conto

Aproveita a visita ao Exploratório para conhecer a livraria Faz de Conto.

Conheci essa livraria em uma feira de Banda Desenhada. Sabe o que é Banda Desenhada? História em Quadrinhos.

Comecei a olhar e, literalmente, chorei. A livreira Sofia está de prova!

Eu tinha vontade de comprar uma dúzia de livros para cada um dos sobrinhos que a vida me deu – legítimo e emprestados.

São livros lindos com histórias inclusivas, educativas, lúdicas. Eu fiquei encantada!

Durante a pandemia, inclusive, a Sofia fez contação de histórias no instagram. Vale muito a visita, tanto física quanto virtual.

coimbra-faz-de-conto
A livreira Sofia na Faz de Conto, feliz com a reabertura pós-pandemia. Não dá vontade de morar num lugar assim? (Foto: Faz de Conto/Facebook)

Uma pausa para um café (ou um hambúrguer)

Passear é bom, mas saco vazio não para em pé. E o que não falta são opções para tomar um café ou chocolate quente com pastel de nata.

Para mim, um dos melhores lugares para fazer isso é na rua Ferreira Borges, na Baixa de Coimbra. Foi nela que me apaixonei pela cidade.

Ali, há diversos cafés e pastelarias bem aconchegantes e com ótimas opções de doces e salgados.

Indico especialmente o Café Santa Cruz, localizado na praça 8 de Maio. Quase centenário, o Café foi inaugurado em 1923, mas sua construção original data de 1530.

E, como se não bastasse ser um lugar incrível, ainda serve o famoso Crúzio, um doce com creme de ovos e lascas de amêndoas. De comer uivando para dizer o mínimo.

cafe-santa-cruz
Café Santa Cruz, o mais tradicional da cidade (Foto: Café Santa Cruz/Facebook)

Um pouco mais afastado da Baixa, está o Café Apolo XI, o preferido da Michelle e da Renata Pirola, capixaba que também mora em Coimbra.

Amo esse café e indico uma visita para você ‘sentir’ a energia do espaço, a receptividade com lindas histórias do casal de donos, as deliciosas comidinhas feitas com muito amor e bons ingredientes com o melhor galão que já tomei aqui”, disse a Renata.

Com uma descrição dessas, é difícil não ficar com vontade de conhecer, né?

Mas um detalhe importante lembrado pela Michelle: no Apolo XI não aceitam cartões, só dinheiro. Portanto, se for, vá preparado.

[Tá pensando no “galão”, não tá? Eu explico: galão é um café com leite, em uma proporção aproximada de uma dose de café para três de leite. Vem saber mais sobre cafés em Portugal nesse post do NCultura.]

Já do outro lado do Mondego tem o Galeria Santa Clara, o primeiro café que visitei aqui e que acho uma graça. 

Fica mesmo à beira do rio e tem uma vista lindíssima! É perfeito para aqueles fins de tarde agradáveis de primavera e verão.

Mas, se você procura uma refeição e não um lanchinho, Coimbra tem alguns lugares bem bacaninhas.

O meu preferido, pelo menos até agora, é o Brunn’s Diner by Flashback. Eu amo junk food e minha eterna guerra com a balança não me deixa mentir.

Aí vem o Brunn’s e une hambúrguer e batata frita a uma decoração sensacional de lanchonete americana dos anos 50.

Você até pode não ser fã de fast food (apesar de que tem outras opções no cardápio). Mas acho impossível não amar o lugar!

coimbra-brunns
Desculpa a falta de foco, eu estava com fome. Mas olha essa decoração!
coimbra-brunns2
Sim, é tão bom quanto calórico!

E, ainda na junk food, tenho uma dica especial . Sabe aqueles lugares que a gente dificilmente vai a menos que tenham nos indicado?

É o caso do Fora D’Horas, que conheci por causa dos meus colegas do jornal. Normalmente, fica aberto até tarde e os lanches são uma delícia!

Tem hambúrguer, bifana, kebab, batata frita… Mas o meu preferido é o cachorro quente com linguiça, bacon e cogumelos.

O lugar é tipo um trailer, mas não se deixe enganar pela simplicidade. Vale muito a caloria!

Entre os restaurantes de comida típica portuguesa, há o Zé Manel dos Ossos. Confesso que ainda não fui. Mas é tão famoso e bem recomendado, que achei justo colocar no post.

E, para os desajustados que vêm à Portugal para comer comida italiana, a dica da pernambucana que sabe tudo de Coimbra é o Il Tartufo.

Por fim, se a ideia é levar algo para beliscar em casa ou no hotel, a Michelle dá a dica das pastelarias preferidas dela:

[Tá sabendo que “pastelaria” é “padaria”, não? Se não sabia, agora sabe 😉 ]

Tem mais? Tem!

Primeiro, quero dizer que escrevi esse texto ao som de Fado ao Centro. Uma inspiração e tanto!

O Fado ao Centro – Casa de Fado apresenta todos os dias do ano (todos!*), às 18h, um espetáculo ao vivo de fado. No local, também há a Oficina de Construção de Instrumentos e a Escola de Fado e Guitarra Portuguesa.

É um lugar de visita obrigatória em Coimbra. E não sou eu que estou dizendo, é o jornal inglês The Guardian.

[*Menos quando o coronavírus não deixa.]

Segundo, seria uma gafe gigante não falar de alguns dos principais monumentos da cidade – que merecem visitas e fotinhos no Instagram:

Pode colocar todos eles na listinha “A visitar”.

Aliás, inclui também o Estádio Cidade de Coimbra. Sua inauguração, em 2003, contou com o show da banda Rolling Stones. Tá bom pra você?

Depois deles, o Estádio ainda foi palco para U2, George Michael e Madonna. E, se não fosse a pandemia, hoje eu estaria lá com a Ana Margalho, assistindo o Andrea Bocelli e a maravilhosa fadista Mariza.

Além disso, se tem estádio, tem futebol. Os principais clubes de Coimbra são a Associação Académica e o União 1919.

Eu já virei Académica desde criancinha. E ai de mim que não virasse – Rute Melo nunca mais me convidava pro Natal.

Para finalizar, o link que isentaria você de ler todo esse texto. Mas que graça teria, não é mesmo?

A Câmara Municipal de Coimbra é muito, muito organizada no quesito Turismo (“Nota 10” já diria o narrador da apuração do Carnaval do Rio de Janeiro).

Então vale a pena dar uma boa fuçada nessa parte do site antes de visitar a cidade. Tem sugestões de roteiros, indicações de como chegar, contatos úteis…

Enfim, todas as informações importantes para quem quer aproveitar Coimbra ao máximo. Eu mesma preciso pegar umas dicas ali.

Bônus

Não podia acabar o texto sem apresentar esta obra.

Miguel Escobar é um paraguaio que vive há muito tempo em Coimbra. Ex-jogador de futebol e agora técnico, compôs uma música em homenagem à Académica e à cidade.

Em parceria com o filho, brindou a todos nós com esse vídeo. É uma forma bem peculiar de conhecer os encantos de Coimbra. Dá o play e confere!

De nada. Ou desculpa. Não sei bem.

Então, ficou empolgado ou empolgada para conhecer Coimbra?

Ou já conhece essa linda cidade portuguesa?

Conta para mim nos comentários!

4 Replies to “Coimbra: os encantos da cidade que me escolheu”

    1. Livreira Sofia! Que bom ler teu comentário por aqui. A Faz de Conto está na minha listinha de indicações desde que conheci. Adoro teu trabalho! Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.